Alterações no cérebro do dependente químico podem agravar a busca por tratamento adequado



Com a capacidade de produzir alteração no funcionamento do corpo, especialmente no sistema nervoso central (SNC), as drogas sejam elas, depressoras, alucinógenas ou estimulantes têm destruído o cérebro dos usuários de entorpecentes que não conseguem sozinhos, buscar tratamento específico para o seu vício.


A capacidade destrutiva dessas da maconha, do crack, da cocaína, heroína ou mesmo do álcool é um fato alarmante.


Existe uma clínica de recuperação para o dependente químico, e esse é o desafio de uma clínica de tratamento para dependentes químico e alcoolismo, que é cuidar e desenvolver a recuperação e reabilitação do paciente que é viciado nas drogas ou no álcool.

Grande parte desse desafio é tratar o paciente dependente químico para que o cérebro, que recebe grande impacto das drogas psicotrópicas causando perdas nos reflexos e raciocínio, dificuldade na memória, perdas nas atividades dos sentidos como paladar, olfato, tato, visão e audição, possa ter sua recuperação durante o período de tratamento.


Porém, é necessário buscar ajuda ou levar uma pessoa com essas necessidades a procurar um centro de recuperação e reabilitação de dependentes em álcool e dependentes químicos.


As drogas geram muitas dificuldades para o cérebro da pessoa que está viciada.

Segundo o que a secretária do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) Jerusa Smid disse em 2017, o cérebro possui um sistema de compensação e prazer relacionado com um neurotransmissor de nome dopamina, que é ligado a dependência.


Quando o dependente químico recebe apoio em uma clínica de tratamento para dependência química e alcoolismo, passa por uma pesquisa para saber qual a droga utilizada, as quantidades consumidas diariamente e também passa por avaliações médicas e psicológicas.


Desta forma, o paciente pode receber o melhor tratamento para o vício das drogas ou do álcool. Com procedimentos profissionais e cuidados especiais o usuário de drogas tem boas chances de obter retorno das funções normais cerebrais, podendo voltar a vida social ao final da recuperação e reabilitação para dependentes químicos e alcoolismo e um centro de tratamento.


Segundo estudo publicado pela UNIFAI - Centro Universitário de Adamantina, a ação da cocaína no cérebro é rápida e curta causando sensação intensa de euforia, hiperatividade perda da sensação de cansaço no corpo.


Já o crack, pode causar até AVC. Esses são exemplos comprovados do impacto de algumas das principais drogas no cérebro do viciado em dependência química. Existe a possibilidade de reverter esse quadro e o primeiro passo é entender que o usuário de drogas precisa de ajuda para se reabilitar.


A dependência química está relacionada com a falta de capacidade do viciado em drogas ou álcool não conseguir buscar ajuda com as próprias forças. Nessas condições, o cérebro do drogado ou alcoólatra está comprometo nas funções normais do sistema nervoso central. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) droga, é qualquer substância que não é produzida pelo corpo e que age diretamente em um ou mais sistemas causando alterações não naturais em seu funcionamento.


Com essas alterações no cérebro e no corpo e sem forças para buscar uma clínica de recuperação e reabilitação o paciente precisa de apoio familiar para ter chances de ter sua saúde restaurada. A alternativa de usar uma clínica de recuperação e reabilitação para dependentes químicos e alcoolismo vem a se tornar uma opção viável e profissional para boa reabilitação do dependente químico.


Um exemplo, é a clínica de tratamento para dependência química e alcoolismo Vitale Prime que segundo suas informações disponibilizam atendimento específico para cada tipo de usuário de drogas ilícitas e permitidas.

A importância de buscar uma reabilitação passa também pela qualidade do processo de tratamento.

Não buscar a automedicação, não postergar a ida de uma familiar dependente das drogas e procurar apoio com psicólogos e médicos especializados no trato humanizado em um centro de recuperação e reabilitação de dependentes em álcool e dependentes químicos pode ser um fator determinante na total reabilitação de quem precisa de ajuda.

As funções cerebrais podem ser recuperadas assim como o paciente, suas chances de ser reintegrado a sociedade são elevadas e o prazer real da vida pode ser devolvido a um parente ou amigo que se recupera das drogas ou do álcool.

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA