Brasileiro dorme mal e não sabe, diz pesquisa



Para muitos, ter uma boa noite de sono é um desafio. Mas, uma pesquisa nacional mostrou que há muitos brasileiros achando que dormem bem, quando, na verdade, a rotina durante a noite não é nada boa.


A pesquisa “Acorda, Brasil!” da Persono, mostrou que 62% das pessoas acreditam que dormem bem. Mas, ao analisar mais a fundo, foi observado que há uma “falsa percepção” do que é dormir bem, já que os dados mostraram que de 45% a 74% da população brasileira têm algum tipo de problema com o sono, como acordar cansado ou muitas vezes durante a noite, demorar mais de 30 minutos para pegar no sono, entre outros.


“O sono do brasileiro está com a qualidade e quantidade ruim. Há muitas alterações do ritmo circadiano devido ao trabalho de casa e híbrido. Isso atrapalha o bom sono, que tem de ser aquele que a gente acorda no outro dia disposto, mas sem mentir. Tem muita gente que mente para dizer que é forte”, comenta a presidente da Associação Brasileira do Sono no Estado (ABS-ES), Jéssica Polese.


A médica pontua que essa percepção de dormir bem é ampla e relativa. “Nem sempre a pessoa dorme mal toda a noite e, com isso, vai levando, e só procura o especialista quando dorme mal por várias noites seguidas”.


O pneumologista especialista em Medicina do Sono Sérgio Barros alerta que nem só a insônia e o ronco atrapalham o sono durante a noite e, por isso, o diagnóstico é extremamente importante.


“Acredito que o mais importante é entender os distúrbios do sono e as maneiras como eles impactam na qualidade de vida das pessoas. Há uma série de distúrbios do sono que as pessoas não têm nem consciência. As tecnologias são importantes, mas o mais importante é o diagnóstico”, opina.


Sérgio Barros ressalta, por exemplo, que a hipersonia – sonolência excessiva durante o dia – está sendo muito discutida entre os especialistas e é um sinal de que há algum distúrbio do sono.


A pneumologista Simone Prezotti, também especialista em Medicina do Sono, lembra que existem indicadores para saber se a pessoa está dormindo bem.


“Eles foram definidos pela Fundação Nacional do Sono. Demorar menos de 30 minutos para iniciar o sono; acordar, no máximo, uma ou duas vezes por noite e voltar a dormir em cinco minutos, são alguns dos critérios”, cita.

Fonte - https://tribunaonline.com.br/saude-e-bem-estar/brasileiro-dorme-mal-e-nao-sabe-diz-pesquisa-108103