Covid-19: Continente americano é o mais afetado



Apesar de o novo coronavírus ter surgido na Ásia, mais especificamente em Wuhan, cidade da província chinesa de Hubei, atualmente quem acumula o maior número de casos de Covid-19 é o continente americano. Ao todo, as Américas somam 2.556.479 casos, segundo os dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) nesta quinta-feira, 28 de maio. O número de mortes, no entanto, é maior na Europa, que tem mais de 177 mil óbitos, enquanto as Américas têm 148 mil.

Neste cenário, o Brasil infelizmente ocupa a vice-liderança. Até o dia 27, segundo o Ministério da Saúde, o País acumulava 411.821 casos, com 25.598 óbitos. Os números só são menores do que os dos Estados Unidos da América. Lá, são mais de 1,6 milhão de casos. As mortes ultrapassam a casa das 98 mil.

As nações que completam o ranking das 10 regiões mais afetadas no Continente são Peru (129 mil casos; 3,7 mil mortes), Canadá (86 mil; 6,6 mil), Chile (82 mil; 840), México (74 mil; 8 mil), Equador (38 mil; 3,2 mil), Colômbia (23 mil; 770), República Dominicana (15,7 mil; 500) e Argentina (13,2 mil; 492). Destacam-se também países como o Uruguai e o Paraguai, que possuem fronteiras com o Brasil, que possuem respectivamente 789 e 884 casos.

No que diz respeito às macrorregiões, a Europa é a segunda mais afetada. Além do índice de 177 mil óbitos citado, o continente é o que tem mais casos, após a América: são 2.079.924. Seguem-se a elas as regiões do Mediterrâneo Oriental (461.824 casos; 11.621 óbitos), do Sudeste Asiático (227.611; 6.3630), do Pacífico Ocidental (177.460; 6.957) e da África (89.592 casos; 2.370).

Entre os países, os dois mais afetados das Américas são também as situações mais complicadas em todo o mundo. Seguem a EUA e Brasil: Rússia (379 mil casos; 4,1 mil mortes), Reino Unido (267 mil; 37 mil), Espanha (237 mil; 29 mil), Itália (231 mil; 33 mil), Alemanha (180 mil; 8 mil), Turquia (159 mil; 4,5 mil), Índia (158 mil; 4,5 mil) e França (142 mil; 28,5 mil). China, onde tudo começou, acumula 84,5 mil casos e 4,6 mil mortes.


Fonte – APM

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA