Descubra maneiras de melhorar a memória



Em algum momento da vida, todos iremos desejar melhorar a nossa memória. Seja para tirar boas notas nos estudos, seja para dar um passo adiante na carreira profissional, uma boa memória tem sido cada dia mais útil. Principalmente em tempos onde é necessário se aperfeiçoar constantemente.

A saber, o cérebro usa diferentes tipos de memórias (de curto prazo, de longo prazo, olfativas, fotográficas…) que atuam simultaneamente e estão interconectadas. Todo esse processo permite alcançar um funcionamento pleno e conseguir respostas mais rápidas. Entretanto, o estilo de vida pode influenciar, e muito, a memória. Problemas como o famoso “deu branco” podem ter ligação direta com o alto nível de estresse e esgotamento mental. 

“Há uma linha tênue entre as queixas de memória e um quadro de doença neurodegenerativa, mas podemos estabelecer uma fronteira, que é quando há um impacto funcional na vida da pessoa. Por exemplo, perguntar repetidamente a mesma coisa sem conseguir registrar a informação; não lembrar o nome de pessoas muito próximas; pagar duas vezes a mesma mercadoria; ou não conseguir fazer um caminho com o qual se tem intimidade”, explica a neuropsicóloga Gislaine Gil, doutora em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP e fundadora do programa Vigilantes da Memória.

A neurologista Sonia Brucki, integrante da Comissão de Ensino da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), reforça que o cérebro está constantemente se adaptando ao longo da vida. “Desde 2010, pesquisas confirmam que, com práticas saudáveis e atividades que instigam o cérebro, como jogos e discussões, fica mais fácil aprender novas informações e também fortalecer memórias”. 

5 maneiras efetivas de melhorar a memória


Mantenha sua mente ativa

Qualquer atividade que represente um desafio é válida para manter nossa memória ativa. Assim sendo, fuja daquelas nas quais você já é bom. Não há nada pior para a memória do que colocar seu cérebro no piloto automático. Dessa forma, tente mudar regularmente os seus hábitos e rituais matinais e/ou noturnos. Aprenda e desenvolva novas habilidades. Pode ser tocar um instrumento musical, falar um novo idioma e aprender xadrez, por exemplo.

Concentre sua atenção no que você está fazendo

A atenção é um dos principais componentes da memória. Para que as informações passem da memória de curto prazo para a de longo prazo, é necessário concentração. Por isso, ao estudar ou tentar memorizar algo, é fundamental estar em um lugar sem distrações que permita o máximo de atenção no estudo. Evite distrações e o “modo multitarefa” ativado.

Estruture e organize as informações

Pesquisas indicam que as informações são organizadas na memória em grupos relacionados. Logo, ao estruturar e organizar os materiais de estudo, por exemplo, agrupe conceitos semelhantes. É mais fácil associar informações relacionadas e, assim, melhorar o seu desempenho.

Pratique atividades físicas 

Praticar esportes ajuda a oxigenar o cérebro e, consequentemente, melhora suas funções cognitivas. Além disso, as atividades físicas estimulam o processo de memorização. Sendo assim, juntamente com os momentos de pausa e lazer, dão à memória a possibilidade de classificar a informação que você vem estudando e registrá-la corretamente. 

Cuide da sua alimentação

Se não há uma mágica que permita se lembrar de tudo, alguns alimentos pelo menos ajudam nessa tarefa. É o caso de frutas e vegetais que contêm vitaminas e antioxidantes, mas também de peixes, chocolate e todos os alimentos que contêm ômega 3. Por outro lado, evite alimentos muito gordurosos, bem como excesso de cafeína ou álcool que atrapalham a digestão e o sono.

Pronto para ter melhorar a memória de uma vez por todas? Então agora o próximo passo é conferir as vagas disponíveis no Amarelinho e tentar a sorte.


Fonte - O Amarelinho

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA