Pingue-pongue é apontado como tratamento para mal de Parkinson



Os pesquisadores da Universidade de Fukuoka, no Japão, descobriram que pessoas com Parkinson que participaram de um programa de exercícios de tênis de mesa uma vez por semana durante seis meses mostraram melhora nos sintomas da doença.


Segundo a agência de notícias chinesas Xinhua, os pesquisadores fizeram um experimento que durou entre três e seis meses em 12 pessoas com idade média de 73 anos e Parkinson em estágio leve ou moderado, todas diagnosticadas com a doença há pelo menos sete anos.


Os estudados apresentaram melhorias significativas na fala, caligrafia, no modo como se vestiam, saiam da cama e caminhavam. Além disso, foi detectado mudança na expressão facial, postura, rigidez, lentidão de movimentos e tremores nas mãos.


“Embora este estudo seja pequeno, os resultados são animadores porque mostram o pingue-pongue como uma forma de terapia relativamente barata que pode melhorar alguns sintomas da doença de Parkinson”, disse o autor do estudo, Ken-ichi Inoue, da Universidade de Fukuoka.


O trabalho será apresentado na reunião anual da Academia Americana de Neurologia, em Toronto, nos meses de abril e maio.

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA