• apansp

Taxa de açúcar e colesterol aos 35 anos pode ter relação com Alzheimer no futuro




Equipe de pesquisadores norte-americanos investigava condições que podem aumentar ou diminuir o risco de desenvolver a doença de Alzheimer na velhice. Passados mais de 40 anos do início da pesquisa, a equipe descobriu que ter uma alta concentração de açúcar — o que pode gerar triglicerídeos elevados — e baixos níveis do colesterol bom (HDL) no sangue, aos 35 anos, implicam em maior risco de desenvolver demência no futuro.


Publicado na revista científica Alzheimer's Association Journal, o estudo sobre as condições que aumentam as chances de Alzheimer na velhice foi liderado por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Boston (Busm), nos Estados Unidos. "Nossos achados sugerem que o manejo cuidadoso do colesterol e da glicose no início da idade adulta pode diminuir o risco de DA [doença de Alzheimer]", afirmam os autores.


“Embora nossas descobertas confirmem outros estudos que associaram os níveis de colesterol e glicose medidos no sangue com o risco futuro de doença de Alzheimer, mostramos pela primeira vez que essas associações se estendem muito mais cedo na vida do que se pensava anteriormente”, explica Lindsay A. Farrer, uma das autoras do estudo e pesquisadora da Busm, em comunicado.


No estudo, a equipe de pesquisadores da Busm acompanhou cerca de 5 mil voluntários entre as décadas de 1970 e 2010. "Esses participantes foram examinados longitudinalmente a cada 4 anos em média desde 1971 até o presente, com um total de 10 exames", detalham os autores.


"Exames físicos e cognitivos, entrevistas para obter informações sobre saúde geral e exposições, e coleta de amostras de sangue para química do sangue e análises moleculares foram administradas em cada ciclo de exames", relatam sobre a coleta de dados dos indivíduos.


A partir das amostras coletadas e dos exames, os participantes eram analisados para os seguintes fatores:

• Doenças mentais;

• Doenças cardiovasculares;

• Diabetes;

• Coiesterol HDL;

• Colesterol LDL;

• Triglicerídeos;

• Glicose;

• Pressão arterial;

• Tabagismo;

• Índice de massa corporal (IMC).


O que aumenta o risco de Alzheimer?


Após as análises, os cientistas concluíram que o HDL mais baixo que o normal pode ser preditivo para o Alzheimer em pessoas com idades entre 35 a 50 anos, mas também em quem têm entre 51 e 60 anos. Em paralelo, altos níveis de triglicerídeos medidos no sangue a partir dos 35 anos podem apontar para o maior risco de desenvolver este tipo de demência.

“A intervenção visando o controle do colesterol e da glicose a partir do início da idade adulta pode ajudar a maximizar a saúde cognitiva na vida adulta”, explica a pesquisadora Farrer sobre a importância de cuidar da saúde durante toda a vida.

Fonte: Canaltech