APM oferece plataforma gratuita e capacitação em Telemedicina aos médicos

Associação firmou parceria com a Teladoc Health para a ferramenta e com a Unimed Fesp, Unimed Brasil e AMRIGS para oferecer o curso a profissionais de todo o País



Por conta da pandemia de Covid-19 e da necessidade de isolamento social, a Associação Paulista de Medicina agiu rápido e firmou parceria, em meados de abril, com a Teladoc Health - uma das maiores empresas de Telemedicina do mundo – a fim de oferecer uma plataforma gratuita para que seus associados possam atender pacientes a distância (associacaopaulistamedicina.org.br/teladoc).


Além de segura, a ferramenta – que estará disponível aos associados da APM na próxima segunda-feira, 18 de maio - fornece ao médico toda a estrutura necessária para realizar um atendimento remoto de qualidade. Os médicos poderão acessá-la através do computador e os pacientes por aplicativo de celular, disponível nas lojas para Android e iOS. O contato será feito por áudio e vídeo, em prontuário resolutivo e simples, com a possibilidade de ser integrado com outros recursos utilizados pelos médicos.


“O País está em isolamento social, mas os pacientes devem ter alternativas de acesso aos serviços de Saúde em situações de baixa complexidade e orientação. Assim como precisamos garantir monitoramento aos pacientes crônicos”, comenta Antônio Carlos Endrigo, diretor de Tecnologia da Informação da APM.


E para que os médicos possam utilizar a plataforma da melhor forma possível, a Associação também disponibilizou, desde o fim de abril, um curso on-line de capacitação básica em Telemedicina (www.cursosonlineapm.org.br), que tem sido feito por médicos de todo o Brasil. Em duas semanas, já são mais de 500 profissionais matriculados.


Além dos associados da APM, a instituição firmou parcerias com a Unimed Fesp e com a Unimed Brasil, para oferecer o curso aos médicos cooperados. Os associados da AMRIGS (Associação Médica do Rio Grande do Sul) também poderão fazer a capacitação, por conta de parceria entre as entidades.


Em 19 de março, o Ofício do Conselho Federal de Medicina 1756/2020 reconheceu a possibilidade e a eticidade da utilização da Telemedicina, nas modalidades teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta, enquanto durar a pandemia de Covid-19. No dia 23 do mesmo mês, foi publicada a Portaria do Ministério da Saúde 467/2020 sobre o mesmo tema, ampliando a utilização. Por fim, a Lei 13.988/2020, publicada em 16 de abril, regulamentou a Telemedicina enquanto durar a pandemia.


Sobre o curso

O curso Capacitação Básica em Telemedicina tem certificação da APM e exige dedicação de 10 horas. Somente médicos com CRM ativo podem participar. O objetivo é oferecer conhecimentos básicos sobre as boas práticas da Telemedicina, abordando desde conceitos iniciais até competências para a teleconsulta, passando por temas como segurança e regulamentação da Telemedicina.


Os módulos são ministrados por grandes expoentes da área: Jefferson Gomes Fernandes, coordenador do Programa de Educação em Telemedicina da APM; Chao L. Wen, professor Associado da FMUSP e chefe da disciplina de Telemedicina; Jimmy A. S. Ayoub, diretor de Inovação e Produtos da Teladoc Health Latam; e Henrique V. B. Lemos, médico de Família e Comunidade do Hospital Santa Marcelina e facilitador da Equipe de Inovação Teladoc.


Desta maneira, a APM disponibiliza conteúdo e experiências para que os médicos possam complementar seus serviços profissionais por meio da prática responsável da Telemedicina, com ética, segurança e qualidade nos cuidados aos pacientes.


A partir da data de matrícula, os alunos do curso têm até 30 dias para concluir o conteúdo. Em caso de dúvidas, os associados da APM podem entrar em contato com a Central de Relacionamento da entidade: (11) 3188-4200 | central.relacionamento@apm.org.br.


Fonte - APM

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA