AVC: não seja a próxima vítima!

Doença pode ser evitada na maioria dos casos a partir de cuidados básicos com a saúde



Quando uma pessoa tem um acidente vascular cerebral (AVC), cada minuto é importante para salvar sua vida e diminuir a gravidade das sequelas. Ainda que o atendimento e tratamento à doença tenham melhorado significativamente ao longo dos anos, o famoso ditado de que “prevenir é melhor do que remediar” torna-se ainda mais válido nesse caso: é preciso, prioritariamente, dedicar-se à prevenção dos fatores de risco.


Segundo a dra. Sheila Ouriques Martins, membro da Academia Brasileira de Neurologia, presidente da Rede Brasil AVC, vice-presidente da Organização Mundial de AVC e coordenadora da campanha mundial 2019, mais de 80% dos casos podem ser evitados pelos cuidados com os aspectos que ameaçam à saúde.


Preservar-se do tabagismo e do alcoolismo, controlar a hipertensão arterial, a diabetes, o colesterol alto e a arritmia cardíaca, praticar atividades físicas e manter uma alimentação adequada são as principais atitudes a serem tomadas para não ser a próxima vítima.


“Muitas pessoas tem conhecimento dos métodos de prevenção, mas não praticam. Temos uma população cada vez mais obesa, sedentária, com uma dieta desequilibrada. A situação é muito preocupante”, alerta dra. Sheila. Ela afirma que certas doenças associadas ao AVC, como a hipertensão arterial, são assintomáticas, o que dificulta a procura por ajuda médica.


Para auxiliar na adoção de hábitos saudáveis pela população, a Rede Brasil AVC lançou no País, o aplicativo gratuito “Riscômetro do AVC”, que calcula a possibilidade de o paciente ser acometido pela doença e dá dicas pertinentes às mudanças no estilo de vida.


No Dia Mundial do Combate ao AVC (29/10), a ideia da dra. Sheila é “unir vozes parar falar sobre a doença e chamar a atenção das pessoas para esses cuidados primários”.


O lema da campanha em 2019 é: “1 em cada 4 de nós terá um AVC ao longo da Vida! Não deixe que seja você”. A ideia é chamar a população brasileira para contribuir com a própria saúde. “A prevenção deve ser sempre prioridade. Queremos empoderar às pessoas para que elas reconheçam os fatores de risco e mudem os hábitos de vida. Só assim as chances de desenvolver um AVC diminuirão drasticamente”, afirma.

Em situação de alerta, o ideal é chamar o SAMU 192 ou dirigir-se rapidamente ao hospital mais próximo.


É importante destacar que, no Brasil, a campanha do AVC ocorrerá de 26 de outubro a 3 de novembro. Quem quiser participar de alguma forma pode se inscrever pelo e-mail contato@redebrasilavc.org.br.


Campanha Nacional de Combate ao AVC no Brasil 2019


A Rede Brasil AVC informa suas ações para a campanha:


  1. Enviaremos o infográfico da Campanha Mundial com os fatores de risco e como preveni-los, além da informação sobre os sinais de alerta do AVC (ainda não disponível)

  2. Forneceremos posters da campanha (ainda não disponível)

  3. Publicaremos no Facebook da campanha e no site da rede material para ser compartilhado nas mídias sociais (Facebook, Instagram, Twitter)

  4. Forneceremos o modelo para quem quiser fazer camisetas da campanha (com recursos locais)

  5. Forneceremos em breve modelos de banners da campanha (para quem quiser produzir com recursos locais)

  6. Forneceremos vídeos da campanha 2019 (em breve)

  7. Forneceremos material para os sites específicos para os fatores de risco: hipertensão, diabete, alimentaçãoo, exercício, fibrilação atrial

Durante a campanha sugerimos:


  1. Contatar a sua Secretaria de saúde para participar.

  2. Se possível, utilizar camisetas da campanha, além dos panfletos fornecidos

  3. Divulgar vídeos da campanha (postos de saúde, ônibus e hospitais que tenham televisão na sala de espera ou no local das campanhas). Divulgar depoimentos, entrevistas.

  4. Compartilhar vídeos, entrevistas, depoimentos disponibilizados no Facebook da campanha (facebook.com/CampanhaAVC)

  5. Organizar palestras para a população

  6. Fornecer entrevistas e participar de programas sobre o AVC no rádio, televisão, jornais, sites (compartilhe os links conosco)

  7. Organizar uma Caminhada de Combate ao AVC ou Corrida ou Passeio de Bicicleta (#correndocontraoavc)

  8. Organizar Campanha em local público – praça, parque, praia, shopping, etc. Ações que podem ser realizadas: – orientação dos pacientes sobre o AVC, sinais de alerta, fatores de risco e prevenção – orientação sobre as possibilidades de reabilitação: fisio, fono, terapeuta ocupacional – orientação nutricional, orientação sobre atividade física – distribuição de folhetos – verificação de pressão arterial, glicemia, peso e altura – checagem de pulso radial (ensinando o paciente a checar seu pulso – “Cheque o seu pulso e proteja o seu cérebro”) – divulgação do aplicativo Riscômetro de AVC no smartphone para que cada pessoa possa calcular o seu risco de AVC e possa acompanhar a melhora com modificação dos fatores de risco ao longo do tempo – divulgação do Aplicativo AVC Brasil – aplicativo com os sinais de alerta do AVC, discagem direta para o SAMU ou para um familiar pré-cadastrado e localização, por georreferenciamento, dos centros de AVC locais (todos os centros cadastrados no Brasil)

Os links para os vídeos de campanhas anteriores e novos vídeos estão abaixo. Outros vídeos e outras novidades serão disponibilizados no Facebook e no site (redebrasilavc.org.br, sbdcv.org.br) ao longo da campanha.


Comitê da Campanha 2019 Sheila Martins (Chair Campanha World Stroke Organization)

Octávio Marques Pontes Neto

Gisele Sampaio Silva

João José Carvalho de Freitas

Letícia Costa Rebello

Magda Carla Martins

Ana Claudia de Souza

Leonardo Augusto Carbonera

Daissy Liliana Mora Cuervo

Tony Fabian Alvarez Guzmán

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA