Semiologia


Foto: Douglas Vaz Fotografia

Na abertura das atividades científicas, a Sala 1 – Prof. Antonio Spina França Netto recebeu, durante todo o dia, discussões sobre Semiologia, sob presidência e coordenação de Eduardo Mutarelli. Este foi, inclusive, o condutor da primeira aula, sobre “Vertigem na emergência”, sucedida pelo tema “Desvio Skew: como interpretar”, ministrado por Péricles Maranhão-Filho. Na sequência, Orlando Barsottini, que foi secretário desta primeira mesa, tratou do “Tremor: diagnóstico diferencial/como examinar”. Ele explicou um pouco da relação entre o tremor essencial e o mal de Parkinson, entre outros temas. “Há autoridades no assunto que acham que há essa ligação, mas ainda não se estabelece relação patogênica clara. A pergunta se o tremor aumenta as chances de desenvolver Parkinson será frequente na prática clínica”, relatou, antes de encerrar e abrir para discussão. Após um intervalo, Jerusa Smid secretariou a mesa e conduziu apresentação sobre “Apraxias e Agnosias”. Márcia Radanovic, falando sobre “Como examinar e interpretar a Afasia”, introduziu os aspectos linguísticos a serem trabalhados: “Há vários elementos para examinar, como fluxo de palavras, conteúdo, esforço, ritmo e melodia, pausas, hesitações e parafasias. Isso determina a fluência do paciente”. Deu aula também Rodrigo C. Carvalho, sobre “Abordagem semiológica do lobo frontal”.

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA