Vitamina D pode prevenir labirintite, segundo pesquisa da Coreia do Sul

Vitamina D pode prevenir labirintite, segundo pesquisa da Coreia do Sul



A revista Neurology da Academia Americana de Neurologia acaba de publicar um estudo realizado na Coreia do Sul que mostra que a vitamina D pode prevenir labirintite. Existe a "labirintite" mais comum de todas (aproximadamente 70% dos casos de vertigem) que ocorre por soltura de cristaizinhos do interior do Labirinto. Trata-se da VPPB (Vertigem Posicional Paroxística Benigna).


Dr. Saulo Nader, neurologista pela USP e do Departamento Científico de Vertigem da Academia Brasileira de Neurologia (conhecido carinhosamente pelos pacientes como Doutor Tontura) chama essa doença de "Labirintite dos Cristais Soltos" para facilitar a compreensão dos brasileiros que sofrem desse mal.


"Os cristais são denominados de otólitos ou estatocônicos, isto, é microscópicos, 10 vezes menores que um fio de cabelo para se ter ideia e encontrados aos milhares. Eles são de cálcio e aí está a questão. Se existe algum tipo de dificuldade ou deficiência do corpo com o cálcio ou com a vitamina D, que tem relação com o cálcio, isso poderia levar a uma facilidade maior de soltura de cristais, pois eles não estão sendo formados de forma saudável", explica o especialista.


A pesquisa, com mostra realizada em mil pessoas, sugere que a reposição da vitamina D e Cálcio deve ser considerada em pacientes com recidiva da famosa "Labirintite dos Cristais Soltos" (VPPB), mas, em especial, em pessoas com exames comprovados com doses baixas de vitamina D no organismo.


"Ressalto que não se trata de reposição agressiva, com doses altíssimas como se tem feito sem evidência científica para algumas doenças e que acarreta diversos riscos e discussões éticas. Aqui, falamos de reposição usual, em pacientes quem precisa (recidivou de uma VPPB e tem vitamina D baixa). Nada de doses "cavalares", são usadas doses habituais", alerta Dr. Saulo.


Existe uma mágica por trás dessa doença tão comum, mas que poucos sabem quem tem.


Doutor Tontura explica abaixo.


"Ela é, literalmente, curada com as mãos. Como assim? Sim, existem manobras que o médico treinado consegue realizar no atendimento que "varrem" os cristais de volta para o lugar de onde não deveriam ter escapado e voilà: doença tratada, nada mais de tontura", enfatiza o neurologista.


Se sente vertigem (sensação de estar caindo, das coisas girando ou balançando) ao virar e mover rápido sua cabeça como exemplos colocar a cabeça no travesseiro ao deitar, girar na cama ou olhar rápido para o alto (para um gargarejo, pegar algo em um armário ou estender roupa, por exemplo), você pode ter a VPPB e não sabe. Busque ajuda médica, seu caso pode ter fácil solução com as milagrosas manobrinhas com um especialista.


Fonte - Eu, Rio!

APAN | Associação Paulista de Neurologia

Assessoria de imprensa 

ACONTECE COMUNICAÇÃO INTEGRADA