3ª Corrida do Congresso Paulista de Neurologia premia ganhadores


Na manhã do dia 21 de novembro, a organização do XIII Congresso Paulista de Neurologia premiou os vencedores da 3ª Corrida Prof. Dr. Getúlio Daré Rabello, que ocorreu de forma virtual entre os dias 19 de setembro e 15 de outubro, permitindo aos participantes escolherem o melhor local para a realização da atividade, de forma cumulativa. A marcação de tempo e distância foi cronometrada pelo aplicativo Strava.


O evento de premiação teve como ponto de encontro o Monumento às Bandeiras, próximo ao Parque do Ibirapuera. Os participantes foram recebidos para um período de aquecimento, integração e atividade livre com um percurso de corrida de ida e volta até o Beco do Batman, no Jardim das Bandeiras. Cada um recebeu uma camiseta da corrida, água, frutas e barras de cereais, além das medalhas aos ganhadores.

O casal Maria Eleonora Abraham e Ronaldo Abraham venceu na categoria dupla (percurso mais precoce). “Foi muito interessante a iniciativa. Moramos em Taubaté, em um local propício para caminhar e já gostamos muito de nos exercitar. Tendo um desafio a mais para estimular o exercício, é muito bom”, destaca Eleonora.


Ronaldo Abraham reforça que os dois usaram máscara durante todos os 100 quilômetros de corrida. “Foi muito interessante, porque nós nos obrigamos a cumprir o desafio, tínhamos desde o início o compromisso de completar os 100 quilômetros. Já tínhamos feito duas corridas presenciais e foram muito bacanas. Nessa proposta virtual, a princípio não sabíamos o que fazer. Enfim, apesar da pouca adesão, foi uma experiência espetacular”, agradece.


No percurso com maior velocidade média, a dupla ganhadora foi Andreza Gonçalves da Silva e Wagner Rodrigues Gomes. Os dois praticam corrida de rua há 10 anos. “Para mim foi uma surpresa, porque imaginei que seria só mais uma corrida virtual e que iríamos receber o kit em casa e ficaria por isso mesmo. Foi bem legal quando a equipe entrou em contato para avisar que havíamos ganhado”, disse Andreza.


Para ela, o prêmio vem como forma de gratificação e motivação para continuar o treino, mesmo em meio à pandemia. “O esporte empodera qualquer ser humano, mas para a mulher, principalmente neste momento de retomada do nosso lugar de direito, é mais importante ainda cruzar uma linha de chegada, quando você tem milhões de coisas para fazer e milhões de outras coisas para provar para os outros e para si mesma. Com a corrida, eu descobri que na verdade eu vou além do que acredito que posso ir, e me mantenho correndo para não esquecer disso.”


Além de corrida, Wagner Gomes pratica triatlo. “Comecei a atividade esportiva para me movimentar. Nunca tive a pretensão de fazer corrida de rua de 5 ou 10 quilômetros, mas aos poucos fui me interessando e tendo o prazer pela atividade. Me envolvi em provas e hoje estou aqui”, informa.


Debora Egri foi premiada no individual feminino (percurso mais precoce). Ela faz parte de um grupo de corrida da Escola Paulista Medicina/Unifesp e corre há cinco anos. “Participar dessa corrida foi muito importante para mim, para a Escola e para o nosso grupo de corredores. É um vício, eu corro em torno de 140 quilômetros por mês, é muito prazeroso.”


Outros premiados

Foram premiados também a Associação Atlética Acadêmica Pereira Barretto (AAAPB) na categoria atlética (distância percorrida em menor tempo, somando todos os membros da equipe); Marcelo Madeira no individual masculino (percurso com a maior velocidade média); Daniella Freire Ribeiro Bernardes no individual feminino (percurso com a maior velocidade média); e Acary Souza Bulle Oliveira no individual masculino (percurso mais precoce).


“Hoje, estamos comemorando a vida, através da história do professor Getúlio Daré Rabello. Talvez eu tenha sido uma das últimas pessoas a falar com ele, no dia da corrida no Pacaembu. Depois tive a notícia de sua partida, uma viagem para uma aldeia boa. Ele deixou para nós uma mensagem muita linda de Neurologia e celebração diária pela vida. Precisamos relembrar, especialmente neste momento de pandemia, de divisão de ideias e de propostas”, resume Acary Souza Bulle Oliveira, diretor da Associação Paulista de Neurologia (Apan) e um dos organizadores do Congresso.


O presidente da Apan, Rubens Gagliardi, reitera que os Congressos têm como marco a corrida. “O XIII Congresso Paulista de Neurologia teve 11 mil inscritos, e as aulas poderão ser adquiridas até maio de 2023. Isso prova que a Apan está se firmando cada vez mais no meio neurológico. Trabalhamos em uma parceria extremamente salutar com a APM e isso tem trazido muitos frutos de crescimento e fortalecimento”, finaliza.


Com informações da Associação Paulista de Medicina